Voltar 06 de Agosto de 2019

Negociação com o governo do Estado garante Piso do Magistério retroativo a janeiro, aumento do valor para licença prêmio em pecúnia e atualização das progressões


Em reunião realizada na tarde desta segunda-feira, dia 05/08, a Direção do Sintero, representada pela presidente Lionilda Simão, discutiu com o governo do Estado a pauta salarial dos trabalhadores em educação.

A administração estadual estava representada pelo secretário Chefe da Casa Civil, Júnior Gonçalves, e pelo secretário de Estado da Educação, Suamy Vivecananda Lacerda, acompanhados de procuradores e técnicos. A presidente do Sintero estava acompanhada pelo assessor jurídico do Sintero, o advogado Adércio Dias. Participaram, ainda, da reunião, representantes do Sinprof.

Desde o início do ano a Direção do Sintero vinha cobrando do governo estadual uma resposta à toda a pauta de reivindicações dos trabalhadores em educação. Entretanto, a pauta salarial, que inclui o pagamento do piso do magistério, pagamento de licença-prêmio em pecúnia, progressões e aumento salarial para os técnicos educacionais, dependia do entendimento com os secretários integrantes da MENP – Mesa de Negociação Permanente.

A presidente do Sintero, Lionilda Simão, argumentou que os trabalhadores em educação precisam ser valorizados e lembrou que o cumprimento da lei do piso em Rondônia foi conquistado após a greve de 2018 que durou 45 dias. Ela reconheceu que o atual governo demonstrou disposição para o diálogo, mas faltava essa resposta às questões salariais.

Na oportunidade o governo confirmou o atendimento das reivindicações com a implantação do piso do magistério no pagamento da folha de setembro com efeito retroativo a janeiro caso a lei autorizadora seja aprovada pela Assembleia Legislativa, bem como o pagamento do retroativo nos meses seguintes, de modo que a quitação não ultrapasse o mês de dezembro. “O governo finda o ano de 2019 tendo implantado o piso e quitado todo o retrotivo do ano”, afirmou o secretário Suamy Lacerda.

Ainda durante a reunião o secretário confirmou o atendimento da reivindicação quanto ao pagamento da licença-prêmio em pecúnia e anunciou que será destinado o valor mensal de R$ 600 mil, sendo parte para atendimento das prioridades destinada a servidores com laudo médico e aposentados, e parte para os demais servidores que possuem licenças vencidas e tiveram o requerimento negado. Nos dois casos será obedecida a ordem cronológica de requerimentos e será divulgada a lista da fila para pagamento de acordo com a data do requerimento. As regras detalhadas do pagamento serão definidas com a participação do Sintero.

A partir da implantação do piso do magistério a Seduc se comprometeu em atualizar as progressões ainda neste ano utilizando como base o novo salário. Portanto, eventual tabela de progressão já divulgada será atualizada.

O Sintero, como representante de toda a categoria da educação, também reivindicou valorização salarial para os Técnicos Educacionais. Em resposta, a Seduc se comprometeu em analisar o impacto financeiro e verificar o que é possível fazer para garantir que essa reivindicação seja atendida. Garantiu ainda, que nos próximos dias será apresentada uma proposta ao sindicato. Destaca-se que durante a greve de 45 dias em 2018, o Sintero conquistou reajuste de 15,07% no vencimento dos técnicos.

O secretário Chefe da Casa Civil, Júnior Gonçalves, disse durante a reunião que o governo fez um grande esforço para atender às reivindicações, e que além de valorizar a categoria, o objetivo é evitar movimentos grevistas. “Não faria sentido manter essa proposta em caso de anúncio de greve”, disse. A presidente do Sintero, Lionilda Simão, respondeu que enquanto há diálogo e o atendimento das reivindicações, não há motivos para greve. “Embora a greve seja legítima é o último recurso dos trabalhadores”, disse.

Lionilda Simão, ao final da reunião, disse que os trabalhadores em educação esperam contar com o apoio dos deputados estaduais na aprovação da lei que vai autorizar o atendimento das reivindicações. “Vamos manter contato com o presidente Laerte Gomes e com os demais deputados, e temos certeza que o projeto a ser enviado à Casa de Leis será aprovado”, disse.

A presidente do Sintero avaliou como positivo o diálogo e disse que o atendimento das reivindicações representa uma vitória importante para os trabalhadores em educação. “A nossa categoria, sempre unida e sempre disposta a lutar, está de parabéns. Ainda temos muito a lutar por valorização, pois os salários ainda não são os ideais”, finalizou.

 


11 Comentários

  • josué alves soares
    29 de Outubro de 2019

    será que não merecemos uma melhor equiparação salarial somos técnicos administrativos e o bom e perfeito funcionamento da escola depende de nós.

  • josué alves soares
    29 de Outubro de 2019

    imagine o que seria uma escola com sala e carteiras sujas, um piso completamente sujo cheio de lixo imagine o que seria uma escola sem merenda para dar as suas crianças, imagine o que seria uma escola sem uma secretaria funcionando sem secretaria a escola não funciona e bom entender isto. e todos estes serviços são realizados pelos tecnicos administrativos. será que não merecemos uma melhor equipa

    Sintero
    Resposta do Sintero
    04 de Novembro de 2019

    O Sintero luta para que todos os profissionais em educação sejam valorizados, inclusive os técnicos educacionais.

  • Lindalva Maria da SIlva Casteluber
    13 de Agosto de 2019

    Gostaria de ser notificada quando tiver alguma palestra, curso algo do genero promovido pelo sintero para que eu possa participar. Sou aposentada.De Alvorada do Oeste.

  • Marco.Ramos
    12 de Agosto de 2019

    Gostaria de saber se a pessoa for transposta para o quadro federal, como ficará essa pessoa em relação a retroativo? A pessoa precisará montar processo ou procurar advogado para receber?

    Sintero
    Resposta do Sintero
    12 de Agosto de 2019

    Não, o Sintero já possui um processo na Justiça (em tramitação), solicitando o retroativo desde 2009.

  • Luzia da Conceição Alves
    11 de Agosto de 2019

    Boa noite! Os técnicos? Quando os professores iniciam um movimento grevista pra exigir o que já é um direito, os técnicos não aderem!

  • Adenard
    08 de Agosto de 2019

    Não se pode esperar grande coisa de um governo declaradamente bolsonarista como este.

  • João Fábio
    07 de Agosto de 2019

    Nobre sindicato vale lembrar que já ganharam um reajuste da gratificação de docentes e nos técnicos nada estamos ganhando salario minimo, por favor olhem mais por nos pois sem nos técnicos não há educação de qualidade.

  • Marcelo Gomes
    06 de Agosto de 2019

    Qual seria o valor real do piso? Valores em Real?

    Sintero
    Resposta do Sintero
    06 de Agosto de 2019

    O valor do piso em 2019 é de R$ 2.557,74,

  • Wilson
    06 de Agosto de 2019

    resumo da ópera: o atual governo não concedeu absolutamente nada! isso mesmo, nada! Vez que o piso salarial já havia sido conquistado ano passado. Portanto, o atual governo apenas ratificou o que havíamos conquistado, mas se negava a cumprir. Concernente a atualização da progressão é procedimento automático com previsão em Lei, portanto, dever da administração em fazê-lo. Lamentável!!!!!!!!!!!!!!!

  • Roger
    06 de Agosto de 2019

    Boa tarde, vamos esperar para ver o que sobra para os Técnicos Educacionais, pois até agora na matéria veiculada só os professores estão sendo beneficiado, e que pelo que foi veiculado já está de bom tamanho os 15% do ano passado, nossos salários já estão defasados a anos, e todos sabemos que a Escola só funciona bem como um todo, senhor Governador de o devido valor a Está classe tão massacrada.

    Sintero
    Resposta do Sintero
    06 de Agosto de 2019

    O Sintero continuará lutando para que os técnicos educacionais tenham valorização salarial.

  • lucimar martins
    06 de Agosto de 2019

    Não entendi.. as progressões serão pagas este mês ou não?

    Sintero
    Resposta do Sintero
    06 de Agosto de 2019

    A partir da implantação do piso do magistério a Seduc se comprometeu em atualizar as progressões ainda neste ano.

Deixe um Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

CNTE
Educação Pública EU APOIO
CUT
FNDE