Um Resumo da História do Sintero

O Sintero – Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado de Rondônia completou 29 anos de lutas confirmando a sua posição entre as entidades sindicais mais combativas do país. É uma referência do movimento sindical devido à sua capacidade de mobilização, à estrutura construída e às inúmeras conquistas obtidas.

Essa história de lutas teve início a partir da promulgação da Constituição Federal, em 5 de outubro de 1988. Até então, os funcionários públicos eram proibidos de se reunirem em sindicato. A luta da categoria se dava através de associações de professores nos municípios onde os profissionais conseguiam se organizar.

Nos dias 25 e 26 de fevereiro de 1989 cerca de 300 professores de todo o Estado, se reuniram no Salão Paroquial da Igreja Matriz de Ouro Preto do Oeste, em um Congresso Intermunicipal para fundar o Sintero, aprovar o estatuto e eleger a primeira diretoria da entidade.

A maioria decidiu, então, fundar um único sindicato estadual que representasse a todos os profissionais da educação, de todos os municípios.

O primeiro presidente foi o professor Roberto Sobrinho, que permaneceu no cargo até 1993, quando deixou o sindicato para assumir a Secretaria Municipal de Educação de Porto Velho, sendo substituído pelo professor Nereu Klosinski.

Em outubro de 1993 Nereu Klosinski foi eleito presidente para o período de 1994/1996.

Em novembro de 1996 foi eleito presidente o professor José Wildes de Brito, para o triênio 1997/1999, sendo reeleito em 1999 para o triênio 2000/2002.

Em 2002 foi eleito presidente o professor João Duarte para o triênio 2003/2005.

Em 2005 o Sintero teve a primeira presidente do sexo feminino, elegendo a professora Claudir Mata Magalhães de Sales para o triênio 2006/2008, sendo reeleita em 2008 para o triênio 2009/2011.

Em 2011 a categoria elegeu para presidir o Sintero o primeiro Técnico Administrativo Educacional, Manoel Rodrigues da Silva, que foi eleito para o triênio 2012/2014 e reeleito para o triênio 2015/2017.

Em novembro de 2017 foi eleita a segunda mulher para a presidência do Sintero, a professora Lionilda Simão de Souza, conhecida como Léo, diretora da regional Café, com sede em Cacoal. O mandato de Léo é para o triênio de 2018/2020.

Hoje o Sintero está presente em todo o Estado com a Sede Administrativa e a Sede Social em Porto Velho, sede de Diretorias Regionais em 11 macrorregiões, e subsedes em outros tantos municípios.

Durante esses 29 anos foram muitas as lutas, mas também foram muitas as conquistas.

Foi através da luta do Sintero que a categoria conquistou horário de planejamento, o fim dos atrasos no pagamento do salário, sucessivaas reposições salariais, gratificações, horário corrido, Prohacap, plano de saúde, auxílio saúde, a reintegração dos servidores demitidos entre outras conquistas que hoje fazem parte do nosso dia a dia.

Mas os trabalhadores em educação conquistaram algo muito maior: a união, a disposição para a luta, e a certeza de que é preciso lutar ainda mais, pois ainda falta respeito à educação pública.

 

 


CNTE
Educação Pública EU APOIO
CUT
FNDE